Terça, 17 Junho 2014 01:07

Cuidados com cães durante a Copa do Mundo

Avalie este item
(0 votos)
Guilherme já preparou os animais para torcer na Copa do Mundo (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Guilherme já preparou os animais para torcer na Copa do Mundo (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Durante e depois dos jogos do Brasil na Copa do Mundo da Fifa são esperadas comemorações com fogos de artifício e rojões. No entanto, há quem não se sinta confortável com o barulho da festa: são os cães, que se assustam com o som dos fogos. É importante que os tutores estejam atentos aos animais, pois o problema é sério, podendo até mesmo resultar em parada cardíaca.

Em Itapetininga (SP), a médica veterinária Aline Aparecida Carvalho de Paula explica que a audição dos cachorros é quatro vezes melhor do que a dos seres humanos, portanto, o barulho dos rojões é muito mais alto para os animais. Como eles não estão acostumados com o som, acham que estão em situação de perigo e correm ou se escondem. Em caso de grande estresse, existe o risco deles sofrerem parada cardiorrespiratória e convulsões, podendo levar até a morte do animal.

A veterinária orienta técnica para fazer com que eles se acostumem com esses barulhos: basta gravar os ruídos de rojões, trovão, e colocar para o animal ouvir quando ele estiver em casa, tranquilo. Primeiro se deixa em volume baixo e vai aumentando aos poucos. Assim ele vai entender que fogos não são um risco. Outra dica da especialistas é colocar tufos de algodão no ouvido deles. “É uma orientação que pode ser utilizada nestes momentos. O que ressaltamos é para colocar a alguns minutos antes da queima de fogos. E sempre pedir orientação do veterinários sobre a colocação da quantidade de algodão a ser colocada no canal auditivo para não ter problema nenhum”, afirma.

Segundo ela, deixar o cão onde ele se sinta mais seguro e ficar ao lado dele também ajuda. A especialista orienta colocar uma coleira de identificação no animal, pois muitos correm desesperadamente para fugir do barulho, deixam a casa e se perdem. Ela conta ainda que outra forma de abafar o ruído é fechar as portas e janelas e tentar disfarçar o som alto ligando a televisão, por exemplo.

Paula diz também que passar a mão na cabeça do cão, ou tentar confortá-lo, não é uma boa ideia, já que dessa forma ele entenderá que o barulho de rojão é sinal de perigo.

Alguns cães são treinados e perdem o medo do barulho alto como o dos rojões. É o caso das cadelas da raça buldogue francês Gaia e Zoe. O dono delas, o procurador de fazenda Guilherme Monteiro, já as preparou para a festa com roupas com as cores do Brasil. “Depois do treinamento, elas ficam tranquilas quando tem jogos, festas”, revela.

O autônomo Marcos de Mello tem 19 cachorros na casa. Ele seguirá as orientações da especialistas para que durante o jogo de abertura do mundial, possa minimizar os problemas com barulhos. “Tomara que dê certo, porque eles ficam tremendo, babando, afugentados. Vou ficar junto deles para acalmá-los, porque é perigoso infartarem”, ressalta.

Gatos e passáros

O médico veterinário Calixto Fogaça orienta que as dicas também para evitar problemas com gatos. Somente o tufo de algodão não é recomendado, já que o animal pode retirar o material com as patas. A dica é para que tutores evitem que os gatos saiam nesses dias de barulho, porque, podem não conseguir voltar. Já sobre os pássaros, o especialista indica que o dono coloque a gaiola em um quarto fechado e cubra-a com um pano até o barulho passar.

Fonte: G1

Lido 4093 vezes