Leishmaniose Canina: Tudo sobre essa Doença

Você sabe o que é Leishmaniose Canina? Então conheça a seguir essa doença que vem preocupando os donos de cachorros e saiba como identificar os sintomas e tratar a mesma.

O grande número de casos de Leishmaniose ocorrido nos últimos tempos, tem chamado atenção da população, da saúde publica e também da mídia. Com isso, não poderíamos deixar de esclarecer alguns aspectos importantes sobre essa temível doença que vem gerando riscos não só para os animais, mas também para os humanos devido ser uma zoonose.

O que é Leishmaniose Canina

A Leishmaniose é uma doença infectocontagiosa causada por um protozoário, conhecido como Leishmania spp. que por sua vez é transmitido através da picada do mosquito Phlebótomus infectado, popularmente conhecido  “mosquito palha” ou “birigui”, para cães saudáveis ou homens.

Sintomas Leishmaniose Canina

Dentre os sintomas que ajudam a identificar a doença podemos citar descamação seca da pele, pelos quebradiços, nódulos na pele, úlceras, febre, atrofia muscular, fraqueza, anorexia, falta de apetite, vômito, diarréia, lesões oculares e sangramentos, além das famosas unhas grandes. Nas formas mais graves ainda pode ser observado anemia e outras doenças autoimunes. Mesmo vendo todos esses sintomas, a confirmação da doença só pode ser feita através do exame de sangue, onde deve apontar aumento das enzimas hepáticas e ou anemia.

Tratamentos Leishmaniose Canina

A grande duvida da maioria das pessoas é: o tratamento é proibido ou não? O ministério da Saúde e da Agricultura determinam que animais infectados pela doença, devem ser sacrificados, o que causa revolta nos proprietários, pois os animais de estimação são considerados ‘membros’ da família, porem o tratamento não é proibido. Ele geralmente é feito de forma sintomática, com o uso de medicações veterinárias via oral, mas como dito o tratamento é sintomático, ele não cura o animal e sim o deixa em condições de levar uma vida normal.

Para que não haja problemas com seu cãozinho de estimação, a recomendação é que os animais sejam vacinados desde filhotes, que usem coleiras repelentes contra o mosquito e que ajudemos no combate ao inseto vetor (flebótomo), fazendo a aplicação de inseticidas no ambiente. A vacina contra a Leishmaniose Canina que é existente no Brasil, confere uma proteção de 92%, claro não é 100% mas já reduz bem a chance do seu animal de estimação ser acometido por essa terrível doença.

Quero ressaltar que o vilão da historia não são os cães, e sim o mosquito, pois a doença não é passada de animal para animal e sim pelo mosquito infectado para o cão saudável. A determinação do sacrifício é defendida, pois o mosquito livre do protozoário pode picar o cão doente e se infectar, e a partir dai ocorrer a disseminar a doença pelo mosquito.

publicado
Categorizado como VET