Sexta, 14 June 2013 04:10

A História de Joe Cocker

Avalie este item
(0 votos)

O Joe Cocker chegou para mudar a nossa vida.

Já tínhamos o Iky e a Flor, os dois yorkshires mais lindos do mundo. Então, bateu uma vontade muito grande de adotar um animal deficiente.

Entrei em contato com algumas instituições, entre elas a SAVA, um grupo de protetores voluntários. Eles me ajudaram a achar o novo amor das nossas vidas. Recebi algumas fotos de animais deficientes e eu só pensava: “vou adotar o vira-latas mais feio do abrigo”. Pois sei que este dificilmente conseguiria um lar.

Foi então que me contaram a história do Joe: um cocker que foi abandonado cego, depois foi jogado de um abrigo para o outro e já tinha sido adotado e devolvido 2 vezes.

Disseram-me que era o caso mais triste do abrigo. Não tive dúvidas e disse: “Traz ele pra mim”!

Nossa história começou numa sexta-feira à noite, há 4 anos. Já idoso, no primeiro ano, ele exigiu uma rotina intensa de cuidados: o glaucoma estava tão descontrolado a ponto de sua cabeça ficar inchada, tinha otite severa, todos os dentes podres com a raiz exposta e um problema de pele, que foram necessários três dermatologistas pra dar conta. Fora a desnutrição.

Infelizmente, no caso dele não era mais possível fazer uma cirurgia para que voltasse a enxergar. Mas, graças ao time de quase 10 profissionais que o atenderam, especialmente a oftalmologista, depois de um ano, ele finalmente estava saudável e bonitão, pronto para a vida que sempre mereceu levar.

Eu e meu marido aprendemos muitas coisas com o Joe: generosidade, gratidão, amor incondicional, mas, o que ele me trouxe de mais importante, depois de toda a rotina para deixá-lo inteiro de novo, foi uma vontade muito grande de fazer mais, tornando-me veterinária.

No mesmo ano que ele chegou me matriculei no curso noturno. Estou indo para o quarto ano da faculdade e em breve estarei pronta para ajudar outros “Joes”. Os veterinários estimam que meu “filho” mais velho está com uns 15 anos, mas ele está forte, bonito demais, feliz e super independente, mesmo sendo cego.

O Joe chegou para nos fazer enxergar possibilidades completamente diferentes para nossas vidas e sou muito grata a ela por isso.  

 

(Juliana Andrade e Márcio Zechetto, mamãe e papai do Joe, do Iky e da Flor).



Lido 4727 vezes