Quinta, 26 March 2015 00:00

Centros de Zoonoses não recebem mais animais sadios

Avalie este item
(0 votos)
(Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação) Por conta de uma portaria do Ministério da Saúde, muitas mudanças tiveram que ocorrer no âmbito dos Centros de Controle de Zoonoses. Em Jataí, de acordo com Luciana Garcia, diretora do local, até pouco tempo, recebiam cães e gatos com diversas doenças, como cinomoses, parvoviroses, sarna e até mesmo animais atropelados, ou seja, com problemas que não eram necessariamente zoonoses. Dessa forma, os animais sadios permaneciam nos canis esperando adoção e os doentes eram imediatamente mortos. Entretanto, por conta dos canis ficarem infectados, muitos animais sadios acabavam adoecendo antes mesmo de serem adotados, aumentando ainda mais o número de mortes induzidas. Com essa nova portaria, que definiu as atribuições dos Centros de Controle de Zoonoses, algumas mudanças foram viabilizadas. Dessa maneira, ainda há o monitoramento das zoonoses de relevância para a saúde pública, como a raiva e a leishmaniose visceral americana. Portanto, atualmente, o Centro de Zoonoses, não recebe animais sadios ou com outras doenças que não sejam as zoonoses. Além disso, para quem precisar, poderá entrar em contato com o Centro, que prestará serviço em domicílio, como por exemplo, para problemas com roedores, morcegos, pombos, escorpiões e animais agressivos tanto dentro das casas como nas vias públicas e neste caso, se constatado algum problema com a raiva, este animal será levado ao Centro de Zoonoses, ficando em observação por dez dias. Depois deste período se o animal apresentar algum sinal neurológico será sacrificado. A questão da carrocinha, que antes circulava pelas ruas pegando animais soltos, ressalta Luciana, deixou de realizar este trabalho após esta portaria, ou seja, desde maio de 2014. Portanto, agora os atendimentos são realizados apenas nos casos em que há animais soltos nas ruas e causando algum tipo de perigo à população. O município tem buscado alguma forma de abrigar os outros animais, diante dessa nova situação. Isto porque a responsabilidade ainda é municipal, desde que não seja do Centro de Controle de Zoonoses, já que esta não é sua função. Fonte: Panorama
Lido 736 vezes