Sábado, 20 July 2013 03:34

TONY, O GATINHO ABANDONADO

Avalie este item
(0 votos)



   Num apartamento no Cruzeiro vivia um gatinho preto muito sapeca e divertido. Sua dona resolveu não castrá-lo, mas com o passar do tempo começou a ficar cansada do gato. Ele urinava pela casa para marcar seu território e ficava agitado quando as gatas da rua entravam no cio. E a dona, em vez de castrá-lo, resolveu abandoná-lo no jardim do prédio. O pobre bichinho miava triste na porta da entrada, mas ela não se importou. O senhor António, zelador do prédio ficou com pena dele e passou a colocar comida para matar sua fome. Um pesadelo começou para o pobre bichinho: tinha que lutar com os gatos da rua que queriam comer sua comida, se esconder dos cachorros e das pessoas malvadas que se divertiam maltratando e escorraçando o gatinho infeliz. Um dia um bando de marginais quase o matou à pedrada. Então, ele começou a ter medo das pessoas e a se esconder. Estava magro, doente e triste com tanta maldade nas ruas!

     Mas o pior ainda estava por vir: um dia um jovem malvado do prédio despejou de propósito pela janela, água fervente bem em cima da sua cabeça. Este gesto abominável lhe provocou uma queimadura grave e destruiu a cartilagem de uma das orelhas. O senhor António porteiro telefonou pedindo ajuda aos grupos protetores de animais e a Márcia foi resgatá-lo, ajudada pelo Porteiro. Ele foi levado para o Hospital Veterinário S. Francisco onde foi operado e tratado. As despesas foram pagas pelo grupo Salvando Vidas Protetores Independentes. Muita gente doou ração e medicamentos.

   Foi-lhe dado o nome de Tony em homenagem ao Senhor Antônio porteiro que o ajudou. Precisou de muitas semanas de recuperação, medicamentos, carinho, estando sempre preso dentro de uma gaiola.  Em Outubro de 2008, foi adotado pela Isabel Couto do grupo Salvando Vidas Protetores Independentes. Hoje ele e’ um gatinho muito feliz e cheio de amor, apesar de ter ficado sem a orelha. Ele é muito carinhoso e bem comportado! E é a alegria da casa

CONCLUSÃO:

Esta e’ uma história verdadeira que mostra o sofrimento de um animal abandonado, mas que termina bem. Infelizmente não é o caso de todos os animais abandonados. A maioria fica nas ruas em grande sofrimento e acaba morrendo de formas trágicas. Por favor, tenha sensibilidade e nunca abandone o seu animal e ensine e informe as outras pessoas a não o fazerem. Busque outra forma de resolver seus problemas sem ser à custa do sofrimento dos animais que tão linda e grande amizade nos oferecem. Eles são os nossos guardiões!

 Izabel Couto

Lido 4244 vezes